Livro de Mormon 34

  1. 1
  2. 1
  3. 1
  4. 1
  5. 1
  6. 1
  7. 1

32 E aconteceu que ele agiu de acordo com seus desejos e marchou para o deserto e deteve os exercitos de Amaliquias.

33 E aconteceu que Amaliquias fugiu com um pequeno numero de seus homens; e os restantes foram entregues nas maos de Moroni e levados de volta para a terra de Zaraenla.

34 Ora, Moroni, sendo um homem que fora nomeado pelos juizes supremos e pela voz do povo, tinha, por conseguinte, poder segundo sua vontade sobre os exercitos nefitas, para estabelecer e exercer autoridade sobre eles.

35 E aconteceu que todos os amaliquiaitas que se recusaram a fazer convenio de apoiar a causa da liberdade, a fim de manterem um governo livre, ele condenou a morte; e foram poucos os que renegaram o convenio de liberdade.

36 E aconteceu tambem que ele fez com que o estandarte da liberdade fosse hasteado em todas as torres de toda a terra ocupada pelos nefitas; e assim Moroni plantou o estandarte da liberdade entre os nefitas.

37 E eles comecaram a ter novamente paz na terra; e assim mantiveram a paz naquela terra ate quase o fim do decimo nono ano do governo dos juizes.

38 E Helama e os sumos sacerdotes mantinham tambem a ordem na igreja; sim, pelo espaco de quatro anos tiveram muita paz e regozijo na igreja.

39 E aconteceu que muitos morreram, crendo firmemente que sua alma estava redimida pelo Senhor Jesus Cristo; assim, sairam do mundo regozijando-se.

40 E houve alguns que morreram de febres que, em certas epocas do ano, eram muito frequentes na terra-muitos, porem, nao morreram de febres por causa das excelentes qualidades das muitas plantas e raizes que Deus havia preparado para remover as causas das enfermidades a que estavam sujeitos devido a natureza do clima-

41 Muitos houve que morreram de velhice; e os que morreram com a fe em Cristo sao felizes com ele, como necessariamente devemos crer.

CAPITULO 47

Amaliquias usa de traicao, assassinatos e intrigas para tornar-se rei dos lamanitas-Os dissidentes nefitas sao mais iniquos e ferozes que os lamanitas. Aproximadamente 72 a.C.

1 VOLTAREMOS agora, em nossos registros, a Amaliquias e aos que com ele fugiram para o deserto; porque eis que ele, com aqueles que o seguiram, subiu a terra de Nefi, entre os lamanitas, e instigou-os contra o povo de Nefi a tal ponto que o rei dos lamanitas enviou uma proclamacao por toda a sua terra, a todo o seu povo, para que voltassem a reunir-se, a fim de batalhar contra os nefitas.

2 E aconteceu que quando a proclamacao se tornou conhecida, eles ficaram amedrontadissimos; sim, temiam desgostar o rei, como temiam tambem batalhar contra os nefitas, receosos de perder a vida. E aconteceu que eles nao queriam, ou seja, a maioria deles nao quis obedecer as ordens do rei.

3 E aconteceu que o rei ficou furioso em virtude dessa desobediencia; portanto ele deu a Amaliquias o comando da parte de seu exercito que obedecia a suas ordens e ordenou-lhe que os obrigasse a pegar em armas.

4 Ora, eis que este era o desejo de Amaliquias; porque, sendo um homem muito sutil na pratica do mal, planejou em seu coracao destronar o rei dos lamanitas.

5 E ele tinha entao o comando dos lamanitas que estavam a favor do rei; e procurou conquistar as boas gracas dos que nao eram obedientes; portanto se dirigiu ao lugar chamado Onida, porque para la tinham fugido todos os lamanitas; porque eles descobriram que o exercito se aproximava e, supondo que viesse para destrui-los, fugiram para Onida, para o lugar de armas.

6 E haviam nomeado um homem para ser seu rei e comandante, tendo tomado a firme resolucao de que ninguem os obrigaria a ir contra os nefitas.

7 E aconteceu que se reuniram no alto de um monte chamado Antipas, a fim de prepararem-se para combater.

8 Ora, nao era intencao de Amaliquias combate-los segundo as ordens do rei; eis, porem, que sua intencao era conquistar as boas gracas dos exercitos dos lamanitas, para colocar-se como seu comandante e destronar o rei e tomar posse do reino.

9 E eis que aconteceu que ele fez o exercito armar suas tendas no vale proximo ao monte Antipas.

10 E aconteceu que quando anoiteceu, ele enviou uma embaixada secreta ao monte Antipas, encarregada de fazer com que o comandante daqueles que se achavam no alto do monte e cujo nome era Leonti, descesse ao pe do monte, porque desejava falar-lhe.

11 E aconteceu que quando recebeu a mensagem, Leonti nao ousou descer ao pe do monte. E aconteceu que Amaliquias enviou mensageiros pela segunda vez, solicitando que ele descesse. E aconteceu que Leonti nao quis descer; e ele enviou mensageiros pela terceira vez.

12 E aconteceu que quando viu que nao conseguia fazer com que Leonti descesse do monte, Amaliquias subiu ao monte ate um ponto proximo do acampamento de Leonti; e pela quarta vez mandou sua mensagem a Leonti, pedindo-lhe que descesse e trouxesse seus guardas consigo.

13 E aconteceu que quando Leonti desceu com seus guardas ate o lugar em que Amaliquias se achava, Amaliquias propos-lhe que descesse com seu exercito durante a noite e cercasse o acampamento dos homens que o rei o encarregara de comandar; e que ele, Amaliquias, os entregaria nas maos de Leonti, se ele o nomeasse comandante imediato de todo o exercito.

14 E aconteceu que Leonti desceu com seus homens e cercou os homens de Amaliquias, de modo que antes de acordarem, ao raiar do dia, foram cercados pelos exercitos de Leonti.

15 E aconteceu que quando se viram cercados, suplicaram a Amaliquias que lhes permitisse juntar-se a seus irmaos, a fim de nao serem destruidos. Ora, era justamente isso que Amaliquias desejava.

16 E aconteceu que ele entregou seus homens, contrariando as ordens do rei. Ora, era isto que Amaliquias desejava, a fim de realizar seus planos de destronar o rei.

17 Ora, era costume dos lamanitas nomear o comandante imediato para ser o comandante, caso seu primeiro comandante fosse morto.

18 E aconteceu que Amaliquias fez com que um de seus servos administrasse veneno, aos poucos, a Leonti, de modo que ele morreu.

19 Ora, morto Leonti, os lamanitas nomearam Amaliquias como seu chefe e comandante geral.

20 E aconteceu que Amaliquias marchou com seus exercitos (porque havia conseguido seus intentos) para a terra de Nefi, para a cidade de Nefi, que era a cidade principal.

21 E o rei saiu-lhe ao encontro com seus guardas, supondo que Amaliquias tivesse executado suas ordens e que houvesse conseguido reunir tamanho exercito para combater os nefitas.

22 Mas eis que quando o rei lhe saiu ao encontro, Amaliquias fez com que seus servos se adiantassem para encontrar o rei. E inclinaram-se perante o rei, como se o reverenciassem por sua grandeza.

23 E aconteceu que o rei estendeu a mao para levanta-los, em sinal de paz, segundo o costume dos lamanitas, costume esse que haviam aprendido com os nefitas.

24 E aconteceu que quando havia levantado o primeiro, eis que ele apunhalou o rei no coracao; e ele caiu por terra.

25 Ora, os servos do rei fugiram; e os servos de Amaliquias gritaram, dizendo:

26 Eis que os servos do rei o apunhalaram no coracao e ele caiu por terra e eles fugiram; vinde e vede.

27 E aconteceu que Amaliquias ordenou a seus exercitos que avancassem para ver o que havia acontecido ao rei; e quando eles chegaram e acharam o rei estendido por terra, ensanguentado, Amaliquias fingiu estar irado e disse: Todos os que amavam o rei devem partir em perseguicao de seus servos, para que eles sejam mortos.

28 E aconteceu que todos os que amavam o rei, ao ouvirem estas palavras, sairam em perseguicao aos servos do rei.

29 Ora, quando os servos do rei viram um exercito perseguindo-os, ficaram novamente amedrontados e fugiram para o deserto; e alcancaram a terra de Zaraenla, juntando-se ao povo de Amon.

30 E o exercito que os perseguia voltou, tendo-os perseguido em vao; e assim Amaliquias, com sua fraude, conquistou o coracao do povo.

31 E aconteceu que, ao amanhecer, entrou ele na cidade de Nefi com seus exercitos e tomou posse da cidade.

32 E aconteceu entao que a rainha, ao saber que o rei havia sido assassinado-pois Amaliquias enviara uma embaixada a rainha, informando-a de que o rei havia sido assassinado por seus servos; que ele os perseguira em vao com seus exercitos e que haviam conseguido escapar-

33 Portanto, quando a rainha recebeu essa mensagem, respondeu a Amaliquias, solicitando-lhe que poupasse o povo da cidade; e tambem lhe pediu que comparecesse a sua presenca; e tambem lhe pediu que fosse acompanhado de testemunhas que pudessem testificar a respeito da morte do rei.

34 E aconteceu que Amaliquias levou o mesmo servo que matara o rei, bem como todos os que estavam com ele; e apresentaram-se a rainha no lugar em que ela se sentava; e todos testificaram que o rei fora assassinado por seus proprios servos; e disseram mais: Eles fugiram; isto nao testifica contra eles? E assim satisfizeram eles a rainha no tocante a morte do rei.

35 E aconteceu que Amaliquias procurou obter as boas gracas da rainha e tomou-a para esposa; e assim, por meio de fraude e da ajuda de seus astutos servos, ele conseguiu o reino; sim, foi reconhecido como rei em toda a terra, por todo o povo lamanita, que era composto de lamanitas e de lemuelitas e de ismaelitas e de todos os dissidentes dos nefitas, desde o reinado de Nefi ate o tempo presente.

36 Ora, esses dissidentes, tendo os mesmos ensinamentos e informacoes dos nefitas, sim, tendo sido instruidos no mesmo conhecimento do Senhor, nao obstante, por estranho que pareca, pouco depois de sua dissensao se tornaram mais duros e impenitentes e mais selvagens, iniquos e ferozes que os lamanitas-absorvendo as tradicoes dos lamanitas, entregando-se a indolencia ea toda sorte de lascivia; sim, esquecendo-se por completo do Senhor seu Deus.

CAPITULO 48

Amaliquias incita os lamanitas contra os nefitas-Moroni prepara seu povo para defender a causa dos cristaos-Ele rejubila-se com a liberdade e a independencia e e um poderoso homem de Deus. Aproximadamente 72 a.C.

1 E ENTAO aconteceu que assim que obteve o reino, Amaliquias comecou a incitar o coracao dos lamanitas contra o povo de Nefi; sim, nomeou alguns homens para falarem aos lamanitas contra os nefitas, do alto de suas torres.

2 E assim incitou seu coracao contra os nefitas, a tal ponto que, ao fim do decimo nono ano do governo dos juizes, havendo conseguido realizar seus intentos ate entao, sim, tendo-se tornado rei dos lamanitas, procurou tambem reinar sobre toda a terra, sim, e sobre todo o povo que estava na terra, tanto nefitas como lamanitas.

3 Assim conseguiu realizar seus designios, porque havia endurecido o coracao dos lamanitas, cegando-lhes a mente e incitando-os a ira de tal forma que reuniu uma numerosa hoste para batalhar contra os nefitas.

4 Porque, em virtude do grande numero de seu povo, estava resolvido a subjugar os nefitas e leva-los a servidao.

5 E assim nomeou capitaes-chefes dentre os zoramitas, sendo eles os mais familiarizados com a forca dos nefitas e com seus lugares de refugio e com os pontos mais vulneraveis ??de suas cidades; por essa razao nomeou-os capitaes-chefes de seus exercitos.

6 E aconteceu que levantaram acampamento e partiram em direcao a terra de Zaraenla, no deserto.

7 Ora, aconteceu que enquanto Amaliquias havia assim, por meio de fraude e engano, obtido poder, Moroni, por sua vez, estivera preparando o espirito do povo para ser fiel ao Senhor seu Deus.

8 Sim, ele estivera reforcando os exercitos dos nefitas e construindo pequenos fortes, ou seja, lugares de refugio; levantando parapeitos de terra ao redor de seus exercitos e tambem levantando muros de pedra a sua volta, ao redor de suas cidades e das fronteiras de suas terras; sim, ao redor de toda a terra.

9 E em suas fortificacoes mais fracas ele colocou maior numero de homens; e assim fortificou e reforcou a terra habitada pelos nefitas.

10 E desse modo preparava-se ele para defender sua liberdade, suas terras, suas esposas e seus filhos e sua paz, a fim de viverem para o Senhor seu Deus e preservarem o que era chamado por seus inimigos a causa dos cristaos.

11 E Moroni era um homem forte e poderoso; ele era um homem de perfeita compreensao; sim, um homem que nao tinha prazer no derramanento de sangue; um homem cuja alma se regozijava com a liberdade e independencia de seu pais e com a libertacao de seus irmaos da servidao e do cativeiro.

12 Sim, um homem cujo coracao transbordava de gratidao a seu Deus pelos muitos privilegios e bencaos que concedia a seu povo; um homem que trabalhava infatigavelmente pelo bem-estar e seguranca do povo.

13 Sim, e ele era um homem firme na fe em Cristo; e havia prestado juramento de defender seu povo, seus direitos e seu pais e sua religiao, mesmo com a propria vida.

14 Ora, os nefitas foram ensinados a defenderem-se dos inimigos, ainda que fosse necessario derramar sangue; sim, e foram tambem ensinados a nunca ofenderem, sim, a nunca levantarem a espada, a nao ser contra um inimigo, e apenas para preservarem a propria vida.

15 E tinham fe que Deus lhes permitiria prosperar na terra ou, em outras palavras, que, se fossem fieis na observancia dos mandamentos de Deus, ele lhes permitiria prosperar na terra; sim, ele avisaria quando precisassem fugir ou preparar-se para a guerra, de acordo com o perigo;

16 E tambem que Deus lhes revelaria para onde deveriam ir a fim de se defenderem de seus inimigos; e se assim fizessem, o Senhor os salvaria; e esta era a fe que tinha Moroni e seu coracao gloriava-se nela; nao no derramamento de sangue, mas em fazer o bem, em preservar seu povo, sim, em guardar os mandamentos de Deus, sim, e em resistir a iniquidade.

17 Sim, em verdade, em verdade vos digo que se todos os homens tivessem sido e fossem e pudessem sempre ser como Moroni, eis que os proprios poderes do inferno teriam sido abalados para sempre; sim, o diabo nunca teria poder sobre o coracao dos filhos dos homens.

18 Eis que ele era um homem como Amon, o filho de Mosias, sim, e tambem como os outros filhos de Mosias; sim, e tambem como Alma e seus filhos, porque eram todos homens de Deus.

19 Ora, eis que Helama e seus irmaos nao prestavam menos servicos ao povo do que Moroni; porque pregavam a palavra de Deus e batizavam para o arrependimento todos os que davam ouvidos a suas palavras.

20 E assim prosseguiram; e os do povo humilharam-se por causa de suas palavras, a ponto de serem grandemente favorecidos pelo Senhor; e assim ficaram livres de guerras e contendas entre si; sim, pelo espaco de quatro anos.

21 Mas como eu disse, quase no fim do decimo nono ano, sim, nao obstante haver paz entre eles, foram compelidos, relutantemente, a lutar com seus irmaos, os lamanitas.

22 Sim, em resumo, as guerras com os lamanitas nao cessaram pelo espaco de muitos anos, apesar de sua grande relutancia.

23 Ora, lamentavam pegar em armas contra os lamanitas, porque nao se deleitavam com o derramamento de sangue; sim, e isso nao era tudo-eles lamentavam ser o instrumento para mandar muitos de seus irmaos deste mundo para o mundo eterno, despreparados para encontrar seu Deus.

24 Entretanto nao poderiam deixar-se matar, para que suas esposas e filhos fossem massacrados pela barbara crueldade daqueles que, um dia, haviam sido seus irmaos, sim, e que, tendo divergido da igreja, os haviam abandonado, unindo-se aos lamanitas para destrui-los.

25 Sim, nao poderiam tolerar que seus irmaos se regozijassem com o sangue dos nefitas enquanto houvesse algum que observasse os mandamentos de Deus, pois a promessa do Senhor era de que, se guardassem seus mandamentos, prosperariam na terra.

CAPITULO 49

Os invasores lamanitas nao conseguem tomar as cidades fortificadas de Amonia e Noe-Amaliquias amaldicoa Deus e jura beber o sangue de Moroni-Helama e seus irmaos continuam a fortalecer a Igreja. Aproximadamente 72 a.C.

1 E ACONTECEU entao que no decimo primeiro mes do decimo nono ano, no decimo dia do mes, os exercitos dos lamanitas foram vistos aproximando-se da terra de Amonia.

2 E eis que a cidade havia sido reconstruida e, nas fronteiras da cidade, Moroni colocara um exercito; e ao seu redor amontoaram terra para protegerem-se das flechas e pedras dos lamanitas; porque eis que eles lutavam com pedras e com flechas.

3 Eis que eu disse que a cidade de Amonia havia sido reconstruida. Digo-vos, sim, que ela fora reconstruida em parte; e em virtude de os lamanitas terem-na destruido uma vez por causa da iniquidade do povo, supuseram que ela se tornasse novamente presa facil para eles.

4 Mas eis que grande foi seu desapontamento; porque eis que os nefitas haviam levantado um parapeito de terra ao seu redor, tao alto que os lamanitas nao podiam atirar suas pedras e suas flechas de modo a produzir efeito; nem podiam ataca-los, senao pelo lugar de entrada.

5 Ora, nessa ocasiao os capitaes-chefes dos lamanitas ficaram grandemente surpresos com a sabedoria dos nefitas na preparacao de seus lugares de defesa.

6 Ora, os chefes dos lamanitas haviam suposto, devido a sua superioridade numerica, sim, supuseram que teriam a oportunidade de ataca-los como ate entao haviam feito; sim, e tinham-se tambem preparado com escudos e couracas; e tambem se prepararam com vestimentas de pele, sim, vestimentas bem grossas para cobrir-lhes a nudez.

7 E achando-se assim preparados, supunham poder facilmente dominar e sujeitar seus irmaos ao jugo da escravidao; ou mata-los e massacra-los segundo sua vontade.

8 Mas eis que, para sua total surpresa, eles estavam preparados para recebe-los de uma forma nunca antes vista entre os filhos de Lei. Ora, estavam preparados para os lamanitas, para combater segundo as instrucoes de Moroni.

9 E aconteceu que os lamanitas, ou seja, os amaliquiaitas, ficaram muito surpresos com a maneira pela qual eles se haviam preparado para a guerra.

10 Ora, se o rei Amaliquias houvesse descido da terra de Nefi a frente de seu exercito, talvez tivesse feito com que os lamanitas atacassem os nefitas na cidade de Amonia; porque eis que ele nao se importava com o sangue de seu povo.

11 Mas eis que Amaliquias nao descera pessoalmente para batalhar. E eis que seus capitaes-chefes nao ousaram atacar os nefitas na cidade de Amonia, porque Moroni havia alterado a tatica dos nefitas, de modo que os lamanitas se viram frustrados ante seus lugares de refugio e nao puderam ataca-los.

12 Portanto retrocederam para o deserto, levantaram acampamento e marcharam em direcao a terra de Noe, supondo que esse seria o segundo melhor lugar para atacar os nefitas.

13 Porque nao sabiam que Moroni tinha fortificado, ou seja, construido fortes de defesa para todas as cidades em toda a terra circunvizinha; por isso marcharam para a terra de Noe com firme determinacao; sim, seus capitaes-chefes adiantaram-se e fizeram o juramento de destruir o povo daquela cidade.

14 Mas eis que, para seu assombro, a cidade de Noe, que ate entao fora um local indefeso, agora se tornara forte por causa de Moroni; sim, e ate excedia a forca da cidade de Amonia.

15 E entao, eis que nisto Moroni fora sabio; porque havia suposto que eles ficariam amedrontados com a cidade de Amonia e, como a cidade de Noe fora sempre a parte mais fraca da terra, consequentemente marchariam para la, a fim de lutar; e assim aconteceu segundo seus desejos.

16 E eis que Moroni havia nomeado Lei para ser capitao-chefe dos homens daquela cidade; e era o mesmo Lei que havia lutado com os lamanitas no vale, a leste do rio Sidon.

17 E entao eis que aconteceu que quando descobriram que Lei comandava a cidade, os lamanitas ficaram novamente desapontados, porque o temiam muito; nao obstante, seus capitaes-chefes tinham feito juramento de atacar a cidade; portanto fizeram avancar seus exercitos.

18 Ora, eis que os lamanitas nao podiam penetrar em seus fortes de defesa por nenhum outro meio a nao ser pela entrada, em virtude da altura do parapeito que fora levantado e da profundidade do fosso que haviam cavado em derredor, a nao ser pela entrada .

19 E assim estavam os nefitas preparados para destruir todos os que tentassem escalar o forte para nele entrar por qualquer outro meio, atirando-lhes pedras e flechas.

20 Dessa forma estavam eles preparados, sim, um grupo de seus homens mais fortes, com suas espadas e suas fundas, para derrubar todos os que tentassem penetrar em sua fortaleza pela entrada; e assim estavam eles preparados para defender-se dos lamanitas.

21 E aconteceu que os capitaes dos lamanitas levaram seus exercitos para a frente da entrada e comecaram a contender com os nefitas, com a intencao de penetrar no forte; mas eis que foram rechacados varias vezes, tendo sido mortos numa grande matanca.

22 Ora, quando descobriram que nao poderiam dominar os nefitas pela entrada, principiaram a escavar o parapeito de terra, a fim de conseguirem passagem para seus exercitos e poderem lutar em condicoes de igualdade; mas eis que, nessas tentativas, foram varridos pelas pedras e flechas que lhes eram atiradas; e em vez de encherem os fossos com a terra derrubada do parapeito, encheram-nos em parte com seus mortos e feridos.

23 Assim, os nefitas tinham poder total sobre seus inimigos; e assim os lamanitas tentaram destruir os nefitas ate que todos os seus capitaes-chefes foram mortos; sim, e mais de mil lamanitas foram mortos, enquanto, no outro lado, nem um so nefita foi morto.

24 Ficaram feridos cerca de cinquenta homens, os quais haviam sido expostos as flechas dos lamanitas atraves da passagem; mas estavam protegidos por seus escudos e suas couracas e seus capacetes, de modo que seus ferimentos, muitos dos quais eram graves, eram nas pernas.

25 E aconteceu que quando viram que seus capitaes-chefes estavam todos mortos, os lamanitas fugiram para o deserto. E aconteceu que voltaram a terra de Nefi a fim de informar o rei Amaliquias, que era nefita por nascimento, de suas grandes perdas.

26 E aconteceu que ele ficou muito zangado com seu povo porque nao conseguira seu intento de dominar os nefitas; ele nao os sujeitara ao jugo do cativeiro.

27 Sim, ele ficou muito irado e amaldicoou a Deus, bem como a Moroni, fazendo juramento de que lhe beberia o sangue; e isto porque Moroni cumprira os mandamentos de Deus nos preparativos para proteger seu povo.

28 E aconteceu que, por outro lado, o povo de Nefi agradeceu ao Senhor seu Deus por haver-lhes demonstrado seu incomparavel poder ao livra-los das maos de seus inimigos.

29 E assim terminou o decimo nono ano em que os juizes governaram o povo de Nefi.

30 Sim, e houve paz continua entre eles, bem como grande prosperidade na igreja, em virtude da atencao e diligencia para com a palavra de Deus que lhes era pregada por Helama e Siblon e Corianton e Amon e seus irmaos; sim, e por todos os que haviam sido ordenados segundo a santa ordem de Deus, sendo batizados para o arrependimento e enviados para pregar ao povo.

CAPITULO 50

Moroni fortifica as terras dos nefitas-Eles constroem muitas cidades novas-Os nefitas sofrem guerras e destruicoes nos dias de suas iniquidades e abominacoes-Morianton e seus dissidentes sao derrotados por Teancum-Nefia morre e seu filho Paora ocupa a cadeira de juiz. Aproximadamente 72-67 a.C.

1 E ENTAO aconteceu que Moroni nao suspendeu seus preparativos para a guerra, ou seja, para defender seu povo dos lamanitas; pois fez com que seus exercitos, no inicio do vigesimo ano do governo dos juizes, comecassem a cavar, levantando montes de terra ao redor de todas as cidades por toda a terra habitada pelos nefitas.

2 E no alto desses montes de terra fez com que fossem colocadas vigas, sim, estruturas de madeira da altura de um homem, circundando as cidades.

3 E sobre essas estruturas de madeira mandou construir uma palicada de estacas em toda a volta; e elas eram fortes e altas.

4 E fez com que se levantassem torres mais altas que as palicadas e, no topo dessas torres, fez construir lugares de defesa, de modo que as pedras e flechas dos lamanitas nao pudessem feri-los.

5 E eles estavam preparados para atirar pedras la de cima, segundo sua vontade e forca; e matar todo aquele que tentasse aproximar-se das muralhas da cidade.

6 Assim preparou Moroni fortificacoes ao redor de todas as cidades de toda a terra, para defende-las de seus inimigos.

7 E aconteceu que Moroni fez com que seus exercitos marchassem para o deserto leste; sim, e eles avancaram e expulsaram todos os lamanitas que estavam no deserto leste para suas proprias terras, que ficavam ao sul da terra de Zaraenla.

8 E a terra de Nefi estendia-se, em linha reta, do mar do leste para o oeste.

9 E aconteceu que quando Moroni expulsou todos os lamanitas do deserto leste, que ficava ao norte das terras sob seu dominio, fez com que os habitantes que estavam na terra de Zaraenla e arredores avancassem para o deserto leste, ate as fronteiras do mar, e tomassem posse da terra.

10 E ele tambem colocou exercitos ao sul, nas fronteiras de seus territorios, e fez com que fossem construidas fortificacoes que pudessem proteger os exercitos e o povo das maos de seus inimigos._

11 E assim isolou todas as fortificacoes dos lamanitas no deserto leste; sim, e tambem no oeste, fortificando a linha divisoria dos nefitas e lamanitas entre a terra de Zaraenla ea terra de Nefi, desde o mar do oeste, passando pela cabeceira do rio Sidon-ocupando os nefitas toda a terra do norte, sim, toda a terra situada ao norte da terra de Abundancia, de acordo com sua vontade.

12 Assim Moroni, com seus exercitos, que aumentavam diariamente por causa da certeza de protecao que suas defesas ofereciam, procurou eliminar a forca e o poder dos lamanitas sobre suas terras, a fim de que sobre elas nao tivessem poder algum.

13 E aconteceu que os nefitas iniciaram a fundacao de uma cidade, a qual denominaram cidade de Moroni; e situava-se perto do mar do leste; e ficava ao sul, perto das fronteiras dos territorios lamanitas.

14 E iniciaram tambem os alicerces de uma cidade entre a cidade de Moroni e a cidade de Aarao, unindo as fronteiras de Aarao e Moroni; e deram a cidade, ou melhor, a terra, o nome de Nefia.




Livro de Mormon 23 | Livro de Mormon 24 | Livro de Mormon 25 | Livro de Mormon 26 | Livro de Mormon 27 | Livro de Mormon 28 | Livro de Mormon 29 | Livro de Mormon 30 | Livro de Mormon 31 | Livro de Mormon 32 |

© um.co.ua -